O Zoo de Lujan – Circo ao ar livre

Recentemente estive na Argentina para conhecer Buenos Aires e de quebra ir ao Zoo de Lujan. O Zoo fica na cidade de Lujan, 50 km de Buenos Aires.

Antes de ir pra lá ví várias fotos na internet e me deu uma vontade enorme de conhecer. Imagina só! Eu iria entrar na jaula com um Tigre, um Leão! Caramba! Isso parecia mágico!
iria dar mamadeira para os filhotes, ver como eles são bem cuidados, um sonho!

Enfim, fomos para lá, meu namorado Eduardo e eu. Pagamos um valor de 150 reais cada um, incluindo traslados do Hotel para lá e ingresso. O Eduardo não queria ir desde o começo. Ele já previa tudo isso… Mas eu, como não posso ver um bicho na rua que já quero acariciar, não me dei conta e estávamos lá.

Chegando no local já entramos numa fila para tirar fotos com o elefante.

O Elefante ficava em pé e você podia dar uma cenoura pra ele (na frente ficava uma caixa cheia de cenouras). Era tudo muito rápido. Você tinha que fazer tudo, incluindo a foto em até uns 20 segundos.
Me assustou um pouco o jeito do tratador, muito semelhante a esses rapazes de circos.

Em seguida fomos pra um lugar no qual não podia tirar fotos, apenas com a câmera do Zôo. Lá eles colocam duas Araras no seu ombro e tiram a foto. Depois você dá uns passos senta numa cadeira e tira foto com a cobra Phyton.

Em seguida sobre para a fila do Dromedário. Sobe no animal e cavalga alguns passos.
Ao redor alguns animais magros, magros, magros. Tinha um bezerro que acho que não via comida há alguns meses.

Após o Dromedário você vai para a fila do Tigre.
São 3 Tigres dentro da jaula, dois dormindo num sono profundo e outra meio acordado.
Na grade uma garrafa de coca-cola com leite dentro e furada na tampa. O tratador pegava essa garrafa e borrifava no animal para ele se lamber e se entreter enquanto as pessoas entravam na jaula e passavam a mão nele.

O Leão era o animal mais depressivo que eu já vi na vida! Uma parte da linguinha estava de fora (se ele estava sedado eu não sei, mas tenho quase certeza). Você fica com sono só de olhar os animais.

O tratador do Leão jogava água na cara do Leão com spray. Sempre que ele ameaçava deitar, tomava banho de spray. Uma tortura. Fora que, em meio a toda essa tortura, o tratador ainda penteava a juba do Leão.
Sabe quando você bebe todas e as pessoas te colocam em pé e te arrumam? Era igualzinho.
O cheiro de carniça do lugar é muito forte também, devido à alimentação dos animais.

Nos arredores do Zoo tem Lhamas, Patos, Gansos, Bodes, todos com bastante fome.

Resumindo: você vai ter fotos com Leão, Tigres, Ursos e etc, mas na pior condição possível. A vontade que me deu foi de chorar por ver tanta gente alí e aqueles animais presos, dopados, sonolentos e ainda posando para milhões de fotos.

O tratador do Leão tem horário de almoço. Ele saiu da jaula com todo mundo xingando, pois ele ia almoçar às 14h e só retornaria às 15h e não há ninguém pra ficar no lugar dele. Saiu nervoso e com um garfo e uma faca na mão, provavelmente iria esquentar seu almoço.

O lugar é largado, parece um circo que não existe mais e ficaram só os animais e os tratadores. Dá muita dó daqueles bichos, que muitas vezes são criados alí.

Tinha uma mulher funcionária em uma outra ala, com um filhote de tigre na coleira e vc tinha que pegar uma fila pra então chegar perto do filhote.
Nossa, fico imaginando a mãe desse animal.

Enfim, se você gosta mesmo de animais, fique bem longe desse lugar. Vai lidar com gente ignorante, com maus tratos sim, com deprê. Pegue seu dinheiro e faça outro passeio.

Nós entramos apenas na jaula do Tigre, pois a fila estava menor. Não entramos no Leão, nem Urso, nem Tigre Branco.

FOTOS:

Reparem no REI DA SELVA, em estado de HUMILHAÇÃO.

Em uma das fotos dá pra ver a ponta da língua de fora, característica de um animal dopado.

 

Image95 Image111 Image115 Image120 Image121 Image125 Image139 Image141 Image142 Image167 Image170

Anúncios